Presidente do PSL no Ceará quer que Bolsonaro indique reitores - CONEXÃO NOTÍCIA - Wellington Marques

Últimas

Post Top Ad

Responsive Ads Here

quinta-feira, 31 de janeiro de 2019

Presidente do PSL no Ceará quer que Bolsonaro indique reitores

O deputado federal eleito Heitor Freire (PSL), poucos dias antes de tomar posse na Câmara Federal, atua para articular mudanças no campo da educação junto com o ministro da pasta no Governo Federal, Ricardo Vélez.
Em reunião durante a última semana, o parlamentar levou a ideia de um projeto de lei que pretende apresentar na Câmara dos Deputados este ano, propondo que os reitores de universidades federais passem a ser indicados pelo presidente da República.
“Com isso, nós queremos tirar toda a ideologia e doutrinação que foi implantada dentro das universidades nos últimos anos”, conta o deputado após o encontro com o ministro.
Ustra
Ele defendeu, ainda, a inclusão de livros de Olavo de Carvalho e de Carlos Alberto Brilhante Ustra como paradidáticos no Ensino Básico. “Eu tenho muitos planos para a educação brasileira. Quero recomendar alguns livros paradidáticos, como os do professor Olavo de Carvalho, assim como o livro do coronel Brilhante Ustra ‘Verdade Sufocada’ para o Ensino Médio”, adianta.
Ministro
Ricardo Velez exaltou o encontro: “É um prazer estar com o deputado Heitor Freire e outras pessoas que lutam pela reestruturação da educação e do ensino básico fundamental. Nós acreditamos na educação como um instrumento de crescimento da sociedade para a integração e preservação dos nossos valores mais caros”, destacou o ministro.
Diálogo
O deputado eleito ressaltou, ainda, que segue aberto para o diálogo com o governo Camilo Santana (PT), a quem faz oposição no Ceará, de modo que o Estado receba o apoio necessário do Ministério da Educação.
Diplomação
Freire já havia elogiado a obra “Verdade Sufocada”, de Brilhante Ustra, durante sua diplomação como deputado federal, em dezembro do ano passado, quando apareceu segurando o livro. Ustra atuou, durante o período da ditadura militar, como coronel e chefe do Doi-Codi, centro de tortura do regime dos militares.
Polêmica
Passaram pelo Doi-Codi, entre outros, a ex-presidente Dilma Rousseff (PT), presa e torturada por envolvimento com guerrilha armada no mesmo período. O presidente Jair Bolsonaro já havia gerado polêmica em 2016, na ocasião da votação do impeachment de Dilma, ao declarar seu voto homenageando Ustra.
Com informações do OE

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Bottom Ad

Responsive Ads Here

Páginas