Em Fortaleza, Amoêdo defende Bolsa Família e diz que problema do Brasil é a interferência do estado - CONEXÃO NOTÍCIA - Wellington Marques

Últimas

Post Top Ad

Responsive Ads Here

quinta-feira, 30 de agosto de 2018

Em Fortaleza, Amoêdo defende Bolsa Família e diz que problema do Brasil é a interferência do estado



O candidato do Novo à presidência da República, João Amoêdo, saiu em defesa do programa Bolsa Família, fez críticas ao discurso de Lula e disse que o problema do Brasil é a interferência do estado. O presidenciável participou de coletiva de imprensa em Fortaleza nesta quarta-feira (29).

O candidato, detentor do mais alto patrimônio declarado à Justiça Eleitoral, fez elogios ao Bolsa Família e defendeu a criação de “portas de saída” para o programa.

“Gostamos do Bolsa Família. Dos programas sociais, ele é o que destina a maior quantidade de recursos para, justamente, os 20% mais pobres da população. Ele tem uma eficácia muito boa. Gasta-se relativamente pouco e atende-se um universo muito grande de famílias”, destacou.
Para ele, é necessário conjugar o programa com a educação e “criar portas de saída para que a pessoa possa se desenvolver, se capacitar e deixe de precisar do programa”.

Durante a entrevista, Amoêdo defendeu a privatização de bancos públicos e disse que, caso eleito, não deixará de adotar ações preocupado com a aprovação pela opinião pública. “Vamos fazer medidas em função do que elas podem melhorar a vida dos brasileiros”, destacou. 
Pobreza

Em seu projeto de governo, o candidato do Novo defende a redução da pobreza e não a desigualdade social. “A riqueza que o estado tira das pessoas é o que nos impede de progredir e sair da pobreza”, afirmou. Para ele, a interferência do estado na concentração de renda “dificulta que as pessoas consigam empreender, ter seu trabalho”.

Questionado sobre que ações adotaria, então, para ajudar um estado considerado pobre como Ceará, ele ressaltou investir em flexibilidade para os empreendedores, melhorar a educação básica e a capacitação de pessoas e reduzir a carga tributária.

Lula
Ele falou também sobre o posicionamento de sua candidatura em um estado como o Ceará, no qual o líder das pesquisas, o ex-presidente Lula, é um candidato de quem difere no discurso e nas propostas de governo.

“Esse discurso de que veio da pobreza e vai ajudar os pobres, na verdade, não funciona assim”, disse o candidato, ressaltando que, apesar do discurso de Lula, o que se viu “foi um presidente de dois mandatos que participou de uma série de esquemas”.

Ele ressaltou que o Novo não usa fundo partidário e eleitoral. “Sempre ganhei dinheiro trabalhando bastante na iniciativa privada. Em determinado momento, há cerca de 10 anos, percebi que tinha disponibilidade de tempo e deveria trabalhar pra deixar o país melhor”, pontuou.

Amoêdo também respondeu sobre o desafio do seu partido de mudar a visão de parte dos brasileiros de que não vale a pena votar em candidatura pequena. Ele ressaltou seu crescimento nas pesquisas e disse que os números se devem à mudança de mentalidade.

“A ideia de que você nunca tinha opção e acabava votando no menos pior, foi o que nos trouxe até aqui. Você acabou eliminando as pessoas que podiam estar entrando na política e mudando. Chegou a hora de as pessoas votarem por convicção e não fazendo calculo eleitoral”, destacou.

Presidenciáveis em Fortaleza
Amoêdo cumpre agenda em Fortaleza até a quinta-feira (30), quando participa de passeata na Avenida Beira-Mar pela manhã e faz passeata na Praça do Ferreira, no Centro da cidade.
Na sexta-feira (31), também devem visitar Fortaleza os candidatos Geraldo Alckmin (PSDB) e o vice na chapa de Lula, Fernando Haddad (PT).

Com informações da repórter Daniela de Lavôr, da Tribuna BandNews FM.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Bottom Ad

Responsive Ads Here

Páginas